Um carro da Apple e uma proteína da Alphabet

2 mins read

O carro da Apple é ainda um boato, mas fortemente alicerçado na opinião de analistas e em reportagens reveladoras da mídia especializada. Já a conquista da Alphabet pode revolucionar o conhecimento e a criação em laboratório de proteínas que podem, entre outras coisas, combater com eficácia o desenvolvimento do câncer.

 

A Apple estaria começando a produzir um carro autônomo e a Alphabet, empresa holding do Google, acaba de quebrar paradigmas de Inteligência Artificial inimagináveis até agora na pesquisa da medicina e desenvolveu modelos que podem ajudar na produção de proteínas de forma avançada, e que podem, por sua vez, combater, entre outras coisas, o câncer.

 

O carro da Apple é ainda um rumor, mas dificilmente criado do nada. As pesquisas sobre o desenvolvimento de uma plataforma de self driven cars foi já admitida pela direção da empresa e analistas apostam que se trata, apra além disso, de um modelo de passeio de carro autônomo mesmo. Surpreendente? Sim. Mas hoje, quase nada é de fato mais … surpreendente.

 

A conquista da Alphabet, por sua vez, mais do que confirmada, deixou de queixo caído a comunidade científica que leu na revista Nature, bíblia do setor, a publicação da nova tecnologia desenvolvida pela companhia na sua área DeepMind (possivelmente a mais avançada empresa de AI do Ocidente, comprada pela Alphabet poucos anos atrás), e que se chama AlphaFold.

 

As empresas-plataforma estão se sofisticando velozmente e expandindo sua atuação de forma avassaladora para todos os âmbitos dos negócios e diversificadas áreas do conhecimento humano.

 

De verdade, nada mais é surpreendente.

 

Para ler mais sobre o carro da Apple clique aqui.

https://medium.com/datadriveninvestor/apple-icar-specs-and-rumors-299a41cfdedb

 

E para entender mais sobre a conquista da Alphabet clique aqui.

https://deepmind.com/blog/article/alphafold-a-solution-to-a-50-year-old-grand-challenge-in-biology

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.