Modelo de negócio: Conheça as tendências de 2020 para agências digitais

8 mins read

Atenção à jornada do cliente digital, economia da recorrência e oportunidades de upsell estão entre alternativas para assegurar o crescimento sustentável 

A demanda das empresas brasileiras por presença digital cresce a cada ano: atualmente, existem pelo menos 4 milhões de sites corporativos no Brasil, conforme levantamento da Bigdata Corp. O mercado de atuação para as agências digitais é grande, mas a competitividade entre elas também é. O principal motivo para a perda de clientes, segundo o Panorama Agências Digitais Brasil 2020, é a concorrência direta. Como, então, assegurar a sustentabilidade dos negócios em 2020, equilibrando os custos e a qualidade dos serviços oferecidos aos clientes?

 

Atentar para as melhores práticas adotadas em mercados mais maduros pode ser um caminho importante para as agências digitais brasileiras. São ações relacionadas ao modelo de negócios, que, essencialmente, visam a consolidar as suas fontes de receita e reduzir a perda de clientes – ou o “churn”, como se diz no jargão do marketing digital. Conheça três oportunidades de surfar a onda do crescimento deste mercado já em 2020:

 

  1. Atenção para a digital dos seus clientes

Empresas em busca de presença online normalmente seguem alguns mesmos passos. Começam construindo um perfil em uma rede social, como Facebook ou Instagram. Muitas vezes, percebem logo que isso não é suficiente para gerar um grande volume de vendas, e então apostam na criação de um site usando serviços gratuitos. “Um site profissional, realmente focado em gerar resultados, normalmente é a próxima etapa”, diz Alessandra Sadan, vice-presidente da Duda para América Latina. Nascida no Vale do Silício, a empresa oferece sua plataforma de criação de sites para mais de 6.500 agências em todo o mundo, e traz do mercado norte-americano referências e melhores práticas que prometem impulsionar o crescimento sustentável das agências brasileiras.

 

Alessandra ressalta que é preciso respeitar a jornada digital do cliente. “Não faz sentido oferecer conteúdo, geração de tráfego, campanhas de marketing digital ou qualquer coisa do tipo para quem não possua um site profissional”, afirma. Para alguns clientes, nada disso é necessário – um exemplo é um fotógrafo ou um freelancer que apenas precise de um ambiente para expor seu portfólio de trabalho. Para ele um site grátis pode ser o suficiente para cumprir seus objetivos de geração e conversão de leads. É um caso diferente de uma pequena ou média empresa em busca de alta performance digital para expandir os seus negócios. “Há um produto certo para cada cliente, e as agências digitais devem se dedicar a mapear essa jornada”.

 

  1. Crie chances de upsell, vendendo mais para os mesmo clientes

Na maioria dos mercados, é mais caro conquistar um cliente novo do que ampliar a receita com os que já estão na carteira – e não é diferente no caso das agências digitais. Para elas, assegurar que os clientes tenham um site profissional é o ponto de partida para inúmeras possibilidades de upsell – ou seja, de vender mais produtos e serviços de marketing digital para os mesmos alvos.

 

Segundo Alessandra, é importante pensar além do tradicional. “Projetos de conteúdo e inbound marketing são opções clássicas de upsell para uma agência digital. Mas há uma série de outras oportunidades que podem entrar nessa conta”, diz.

 

Alessandra elenca alguns exemplos de estratégias que as agências digitais podem adotar em 2020. “Quem já tem um site profissional pode se interessar por ter uma atualização focada em design e performance anual, por exemplo. Ou pode querer widgets customizados que facilitem o relacionamento com os clientes – um quadro de reserva de quartos para uma pequena pousada, ou de agendamento de horário para uma clínica odontológica ou pet shop, entre outras possibilidades”. Esses e outros serviços – como a criação de sites multilinguagem, landing pages para campanhas, blogs ou lojas virtuais – podem ser oferecidos por uma agência digital com relativa facilidade, aumentando o tíquete médio e a retenção dos clientes.

 

  1. Aposte na recorrência para ter receita previsível

Depender da prestação de serviços pontuais é uma grande dor das agências digitais. Esse modelo dificulta estimativas de demanda no longo prazo e o planejamento financeiro. Aumentar a carteira de clientes recorrentes costuma estar entre os desejos das agências, porque isso assegura a sustentabilidade dos negócios, já que pelo menos parte da receita se torna previsível. “Adaptar a forma de precificar serviços para adotar um modelo de recorrência deve ser uma prioridade em 2020 para agências de querem escalar seus negócios de forma sustentável”, diz Alessandra.

 

A executiva, que lidera a expansão da Duda pela América Latina, admite que essa mudança pode parecer complicada num primeiro momento. Usando tecnologia de ponta, no entanto, é possível transformar a criação de sites, por exemplo, em um serviço “por assinatura”. “Por que não reduzir o valor cobrado na entrega e diluir a diferença em mensalidades que abranjam outros serviços? A sensação de que o preço de um conjunto de benefícios cabe no bolso pode ser decisiva para um pequeno empreendedor contratar uma agência digital”, sugere.

Duda é uma empresa de tecnologia do Vale do Silício que desenvolve soluções para criação de sites de alta performance, com foco em agências digitais e plataformas SaaS

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.