Previsões e tendências do mundo digital para 2021 segundo lideranças

7 mins read

Janeiro é mês de muito calor, energias renovadas e, claro, previsões para o ano que começa. Nesse post, elencamos as previsões e tendências listadas por lideranças do mundo digital para o ano de 2021:

 

Erica Brescia, COO, GitHub:

O compartilhamento de dados e as práticas de colaboração aberta que têm sido cruciais para a luta contra o COVID levarão a uma maior colaboração público-privada e intersetorial no futuro. Veremos o ritmo de inovação aumentar em todo o mundo, especialmente nos países em desenvolvimento, onde a incrível quantidade de talentos em tecnologia está finalmente sendo reconhecida e aproveitada graças às práticas de trabalho e contratação distribuídas.

 

Marco Casalaina, vice-presidente sênior de gerenciamento de produtos, Salesforce:

Quando chegarmos a 2022, a IA terá finalmente entrado no mainstream. A pandemia introduziu inúmeros novos pontos de contato digitais para empresas B2C e B2B, o que significa que há mais dados do que nunca. As empresas e os consumidores compreenderão melhor o que a IA pode fazer. A IDC prevê que os gastos globais com IA dobrarão nos próximos quatro anos, chegando a US $ 110 bilhões em 2024, à medida que as empresas veem uma oportunidade de impulsionar a inovação, melhorar o atendimento ao cliente e automatizar tarefas de rotina para que seus funcionários possam se concentrar em um trabalho mais estratégico.

 

Simon Allen, CEO, McGraw Hill:

Eu estimo que [o] aumento recente no aprendizado online provavelmente levaria pelo menos mais cinco anos para chegar sem a pandemia, mas agora que aconteceu, não esperamos que a educação volte a ser como era antes. Ferramentas de “aprendizagem adaptativa” orientadas por IA também brilharam durante esta crise. Essas ferramentas personalizadas digitalmente há muito são ótimas para ajudar os professores a direcionar com precisão o tópico exato e granular no qual um aluno precisa de ajuda. Mas na era COVID, quando a interação individual professor-aluno nunca foi tão escassa ou preciosa, realmente vimos essas ferramentas serem testadas como nunca antes e vimos o valor real que elas podem agregar.

 

Alyssa Cutright, chefe de pagamentos globais, eBay:

O COVID acelerou a necessidade de novos métodos de pagamento, como carteiras móveis, pagamentos sem contato, compre agora, pague depois e métodos de parcelamento. Não apenas observamos uma maior adoção de métodos de pagamento globais, como Apple Pay e Google Pay, e métodos de pagamento locais, como Afterpay na Austrália, mas também uma mudança em toda a indústria na forma como os varejistas fornecem suas opções de pagamento aos clientes, como o uso Códigos QR para fazer um pagamento.

 

Andrew Diamond, diretor médico da One Medical:

A pandemia catalisou a adoção generalizada e a disponibilidade de serviços de saúde virtuais de uma forma completamente transformadora. Em um momento em que o aumento do isolamento social está gerando uma “sombra pandêmica” de ansiedade e depressão, o atendimento virtual permitiu que os provedores abordassem essas e outras preocupações crônicas de saúde conectando-se de maneira profunda e segura aos pacientes em seu ambiente doméstico. Juntamente com o teste remoto e a tecnologia de monitoramento, o atendimento virtual veio para ficar. Ao mesmo tempo, estamos aprendendo como os encontros reais e pessoais são extremamente importantes em todas as facetas de nossas vidas. Os negócios mais interessantes serão aqueles que integram perfeitamente experiências virtuais e pessoais.

 

Ian Lee, diretor administrativo, IDEO CoLab Ventures:

A adoção de novas tecnologias – Bitcoin, criptomoedas e serviços financeiros descentralizados baseados em Ethereum – será essencial para projetar um sistema financeiro mais justo, acessível e livre. Esses aplicativos, serviços e negócios financeiros descentralizados crescerão exponencialmente em termos de investimento, valor, uso e adoção. Eles começarão a superar a concorrência das empresas de serviços financeiros tradicionais nas áreas de pagamentos, comércio, poupança e gestão de patrimônio. E veremos essas organizações de serviços financeiros tradicionais como Square, PayPal e outras começando a construir negócios e produtos usando infraestrutura financeira descentralizada.

 

Werner Vogels, CTO, Amazon:

A mudança climática é uma das questões mais difíceis de nosso tempo, exigindo um esforço coletivo da academia, tecnologia, governo, indústria, organizações sem fins lucrativos e sociedade para compreender e desvendar a complexa teia de causa e efeito que se desdobra em todo o planeta. À medida que os conjuntos de dados climáticos ficam cada vez maiores, o machine learning começa a desempenhar um papel mais importante na busca de padrões nesses dados. No próximo ano, os pesquisadores serão capazes de acelerar nossa compreensão da ciência do clima usando o machine learning para filtrar grandes quantidades de dados e modelar o futuro com mais precisão.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.