Ecommerce na China atinge 50% do total de varejo do País. Histórico.

3 mins read
Ecommerce na China atinge 50% do total de varejo do País. Histórico.
Nenhum País atingiu esse patamar ainda, mas a China acabou de chegar lá: 50% da receita de varejo do País é já proveniente do ecommerce.
 
O resultado aparece em estudo recentemente publicado pelo eMarketer. Já vai rolar este ano, quando o setor representará 52,1% do total do varejo no País, projeta o instituto. Sendo que, em 2024, vai chegar perto dos 60%. Nenhum outro País chegou a tanto.
Nunca o varejo digital será 100% do varejo total de País nenhum, por motivos óbvios. Continuaremos comprando ao vivo e a cores, notadamente quando os rigores da pandemia se reduzirem e passarmos a sair mais de casa, fazendo compras nas lojas físicas.
Mas a tendência do varejo online tornar-se o segmento cada vez mais relevante dessa indústria é inexorável. Em todos os países.
É certo que a China é um caso à parte, por ter características próprias. Nos EUA, esse número é de 15%, aproximadamente. No Brasil, ainda não passa de 10%. Mas os índices de crescimento, aqui, são impressionantes. No primeiro semestre de 2020, as vendas online cresceram cerca de 50% em relação a igual período do ano anterior e o tícket médio teve também alta expressiva.
Dependendo do setor pesquisado, esse número pode se alterar de forma relevante. No estudo abaixo, da Boa Vista, a média das empresas pesquisadas foi de 29%.
O estudo da Boa Vista detectou que das 350 das empresas pesquisadas no Brasil, em levantamento feito entre janeiro e fevereiro, portanto antes da pandemia, apenas 39% delas utilizam a internet para negócios e apenas 38% possuem site próprio. O que significa que o Brasil vive uma espécie de Idade Média em termos de comércio eletrônico comparado com o resto do mundo. Comparado com a China, vivemos a pré-História.
A boa notícia nisso é que não há qualquer caminho no País que não seja o crescimento de todos esses índices daqui em diante. O mesmo levantamento feito hoje, em meio a pandemia, deverá apontar percentuais muito maiores de adesão das empresas ao varejo digital, sendo que essa será uma tendência de crescimento e maior envolvimento sem volta.
O e-commerce vive um momento único na história. Os 50% da China são um marco. Outros países atingirão em breve marcos próprios igualmente relevantes para suas respectivas realidades. Apenas esperar para ver.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.