Andreessen Horowitz cria um dos maiores fundos da história para Crypto
O Crypto Fund III é um fundo de US $ 2,2 bilhões, um dos maiores da história para esse tipo de negócio, criptossistemas. Saiba mais.

Andreessen Horowitz cria um dos maiores fundos da história para Crypto

3 mins read

O Crypto Fund III é um fundo de US $ 2,2 bilhões, um dos maiores da história para esse tipo de negócio, criptossistemas. É a mais recente e sem dúvida a maior aposta da empresa de venture capital que é como uma das maiores queridinhas do Vale do Silício.

 

O namoro do fundo com o setor começou já há alguns anos, mais precisamente em 2013, quando liderou uma rodada de financiamento para uma startup chamada Coinbase. A criptomoeda nem bateu na trave, mas a Coinbase, treinada e acelerada pelo Y Combinator, posicionou-se como a bolsa financeira do futuro. Andreessen Horowitz liderou a rodada de US $ 25 milhões, o primeiro de vários investimentos que tornariam a Coinbase a empresa de criptografia mais bem financiada do mundo.

 

Oito anos depois, como revela a mídia especializada do setor, o investimento valeu a pena. Em abril, a Coinbase se tornou a primeira grande empresa de criptografia a abrir o capital e o mundo inteiro passou a prestar atenção nela.  A Coinbase fechou seu primeiro dia de negociação a US $ 328,28 por ação, colocando seu valor em US $ 85,8 bilhões – tornando-se a maior saída de Andreessen Horowitz.

 

Apostando na mesma lógica, ado crescimento indiscutível que as criptomoedas e cripto ativos seguirão tendo, a Andreessen Horowitz anunciou semana passada seu terceiro fundo focado em criptografia, definendo-se como o fundo para a “próxima geração de criadores de criptografia visionários”. 

 

O Crypto Fund III de US $ 2,2 bilhões estará entre os maiores compromissos de capital para o criptossistema da história, e cerca de quatro vezes o tamanho do segundo fundo de criptomoeda da empresa há um ano. “Acreditamos que a próxima onda de inovação em computação será impulsionada pela criptografia”, prevê a companhia.

 

Só neste ano, os VCs investiram US $ 17 bilhões em empresas de criptografia, de acordo com a Bloomberg. A Union Square Ventures, outro investidor inicial da Coinbase, reservará 30% de seu novo fundo de US $ 251 milhões para empresas de criptografia. Players ainda mais tradicionais, como PayPal e Visa, começaram a se infiltrar no espaço criptográfico ao se juntar ao novo fundo de US $ 300 milhões da Blockchain Capital. Muitos desses investidores estão apostando que outras startups podem replicar o enorme sucesso da Coinbase e que a recente mania por coisas como tokens não fungíveis vai desencadear uma série de novos projetos de criptografia.

 

No Brasil não vemos esse mercado Crypto, ainda, acontecer. Mas ele vai acontecer. Vale acompanhar tudo que ocorre nele de agora em diante.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.