Novo chip com 2,6 trilhões de transistores
Novo chip com 2,6 trilhões de transistores, uma aceleradora de conhecimento e avanços em todas as áreas da atividade humana moderna.

Este chip tem 2,6 trilhões de transistores. Minha avó ia pirar.

3 mins read

Transistores foram desenvolvidos ali pelos anos 1940 e um marco dessa área de pesquisa foi em 1947, quando o Bell Laboratories, dos EUA, o braço de pesquisas da AT&T na época, criou o que se considerou o primeiro transistor de sucesso e distribuição comercial efetivamente. Época da minha avó já grandinha. 

 

Transistores amplificam as potências elétricas. Operam sobre placas de silício, normalmente. Por fazerem isso, demandarem baixo uso de energia e por caberem em espaços diminutos, acabaram por transformar toda a indústria eletro-eletrônica. Os chips são sua casinha de preferência.

 

Ao longo do tempo e com os avanços da nanotecnologia, os transistores passaram a potencializar cada vez mais suas capacidades em placas cada vez menores.

 

Semana passada, o maior chip de Inteligência Artificial do mundo, o WSE, da Cerebras System, que tinha já instalados impressionantes 1,2 trilhões de transistores, passou a conter, no mesmo espaço (veja imagem … o equivalente a um prato de mesa) o dobro de transistores. Ou seja, inimagináveis 2,4 trilhões. Com isso, o chip passa a ter uma memória e uma velocidade de transmissão de 20 petabytes por segundo. 

 

E porque isso é importante? 

 

A resposta está no fato de que agora esses chips estarem sendo utilizados para anabolizar a capacidade de processamento da Inteligência Artificial, que por sua vez é, ela mesma, uma aceleradora de conhecimento e avanços em todas as áreas da atividade humana moderna.

As unidades de processamento e os chips foram originalmente desenvolvidos para servirem a computadores e aplicativos gráficos, de games, por exemplo. Nos últimos anos, os chips especializados feitos para IA estão cada vez melhores e mais robustos. O fodão aí da Cerebras, com 2,4 trilhões de transistores, é mais um deles. Até o momento, o maior e mais potente de todos no mundo.

 

Nesse mundo em que menos é mais, ele abre uma porta para um patamar antes nunca atingido por essa tecnologia. Ou seja, a Inteligência Artificial, que já evoluía a uma velocidade que nós, humanos, já não estávamos mais conseguindo acompanhar direito, vai se tornar ainda mais exponencial. 

 

Isso deve ser bom. Só se não for. Vou perguntar para minha avó.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.