Ontem falei sobre como esquecer tecnologia. Hoje veja como aplica-la.

Por Pyr Marcondes | 30 Maio 2017

Em um artigo que você certamente leu aqui ontem (rs), você entendeu que não precisa conhecer profundamente de tecnologia para ser eficiente em marketing nos tempos de tecnologia. Comentei que o importante é conhecer os principais pilares em que se divide hoje a automação de marketing e os sub-segmentos desses pilares. E que conhecendo esse basicão, você estaria já minimamente pronto para fazer perguntas incômodas a seus fornecedores e até para sua própria equipe de entendidos em automação, extraindo das respostas o que de fato possa interessar.

Mas ontem deixei você na mão com algo muito, mas muito importante: não adianta só você conhecer o basicão. Você precisa saber como aplica-lo.

Pois bem. Essa parte começa como todo plano de marketing começa, e isso eu espero que você saiba. Não, não começa com seu budget, começa no difícil cruzamento entre os atributos da sua marca, seus objetivos de mercado e tudo isso plotado em cima do conhecimento profundo do seu target, ou seja do seu consumidor.

Como esse cara está hoje cada vez mais digital e tecnológico (expliquei ontem) você tem agora que pegar o basicão que aprendeu ontem e passar a fazer escolhas. Difíceis, mas inevitáveis escolhas: quais ferramentas e plataforma adotar, daquelas mais de mil que estavam no gráfico que te passei ontem.

Para te aliviar a angústia, começo dizendo que você de forma alguma vai precisar conhecer todas as mais de mil opções a sua disposição. Isso por uma razão muito simples: você jamais irá usar todas elas ao mesmo tempo. Como disse, elas existem porque engenheiros preocupados com seu umbigo tecnológico resolveram cria-las. Elas nem sempre são de fato úteis e muitas delas são apenas sucedâneas com ligeiras diferenças entre elas, que interessam mais aos engenheiros e seus investidores do que a sua marca ou ao seu consumidor.

Portanto, definidas as bases do seu plano mercadológico do ponto de vista estratégico, foco no seu consumidor. O que você tem que fazer é entender primeiro sua jornada errática e muitas vezes quase (eu disse quase) imprevisível.

E aí já começam as primeiras escolhas, que vão separar todas aquelas ferramentas em dois e apenas dois blocos: as completamente inúteis para você e as que podem ser úteis para você.

De novo, comece pelos grandes pilares e nos sub-sgmentos. Neles você vai selecionar aqueles que no momento sejam relevantes para sua estratégia de mapeamento de hábitos e comportamentos do seu consumidor. Para isso você vai precisar de plataformas que acompanhem e metrifiquem perfis e clusters de consumidores alinhados com o que você deseja, somadas a outras que manipulem e te entreguem dados sobre essa gente.

Aí as escolhas ficam um pouco mais complexas e você vai precisar de ajuda. Vai precisar de alguém na sua equipe interna que entenda um pouco mais de tecnologia do que você, te ajude nessas escolhas entre as companhias que estejam nos pilares e sub-segmentos que você escolheu para atacar primeiro.

As companhias líderes geralmente são mais seguras, acredite. Eventualmente elas podem até nem ser as melhores e nem as mais baratas, mas se você não é um usuário experimentado de tecnologia, vale a pena começar com elas, seja como for.

Ouça junto de sua equipe o que essas empresas têm a oferecer. E aqui uma dica importante: PARTCIPE DAS APRESENTAÇÔES!!! Ouça, mesmo que não entenda tudo que ouviu, ouça. Seu repertório vai sair somado de qualquer maneira. Faça perguntas leigas e vá aprendendo com cada fornecedor. Eles são a melhor aula que você pode ter, depois é claro dos aprendizados práticos que vai ter quando de fato estiver aplicando no mercado as plataformas e soluções que você acabou por optar como seus experimentos.

Ponha na sua cabeça e na cabeça do seu board que o mundo da tecnologia não é um mundo isento de erros, muito pelo contrário, ele é um mundo onde o teste (que muitas vezes são chamados de testes A/B) são métodos clássicos de erros provocados até se chegar nos acertos.

Muito bem. Você fez algumas escolhas, não tenho ideia quais. Agora você vai ter que ir a mercado e testar. Sobre isso, falo amanhã aqui com você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

White Paper relacionado


Marketing

Os desafios do marketing de conteúdo

Não é fácil, mas é indispensável construir uma estratégia de conteúdos para sua marca.  Os desafios do marketing de conteúdo (466 downloads)

Artigos Relacionados