Home Notícias Artigos O ressurgimento do Foursquare

O ressurgimento do Foursquare

189
0

Outro dia, num grupo de digital people, alguém lembrou do Foursquare.

Para toda uma geração mais jovem, esse nome não lembra nada. Como dizem os norte-americanos, doesn´t ring the bell.

Pois para toda uma outra geração que tem hoje seus, digamos, trinta e cinco e mais, Foursquare vem à mente como a primeira operação que se propunha a geolocalizar nossa vida. Era (e segue sendo) uma proposta matadora, integrando mobilidade com informações de consumo e oportunidades de mídia.

No tal grupinho de digital people o consenso foi … como esses caras puderam perder essa oportunidade e não serem hoje uma das empresas mais valiosas do mundo?

Pois eles aparentemente perderam mesmo o momento de se transformarem num unicórnio gigantão.

Mas de dois anos para cá, deram uma mudada de rota e seus números começam a apontar para cima novamente. E isso é bom para toda a cadeia de negócios digitais do mundo.

Foursquare fez seu badalado lançamento no SXSW de 2009 como um app de check-in, que permitia seus usuários compartilhar sua localização atual com seus amigos.

Há dois anos Foursquare não é mais B2C, tendo se transformado em uma operação B2B focada em inteligência para geolocalização corporativa. Faz sentido. Pelo menos parece, já que a receita da companhia vem crescendo a taxas acima de 70% nestes últimos dois anos.

A companhia oferece a seus clientes dados, dados e mais dados geolocalizados, cruzando localização com o perfil dos seus usuários e contando para as companhias o que eles estão fazendo da vida. E onde.

A base do Foursquare conta com 50 milhões de usuários ativos, notadamente nos EUA. É muita gente.

O desafio da companhia tem sido criar mais e mais produtos corporativos nesse seu novo posicionamento estratégico. Agora Foursquare é, portanto, mais um player no mundo dos dados, aberto a ações de comunicação personalizada e geolocalizada de toda natureza. Comoditização na veia.

Muitas empresas (e certamente muitos consumidores) querem isso.

É bom ver o Foursquare em forma novamente.

Previous articleDica valiosa para CMOs: cuidado com o funil de conversão!
Next articleUm dia na vida de um usuário Watson
Pyr Marcondes é jornalista, consultor e autor. Foi repórter da revista IstoÉ, Jornal da Tarde e Playboy. Foi diretor editorial para o Grupo Meio & Mensagem desde a década de 90. Foi Sócio e Diretor de Criação na agência de publicidade Grottera & Cia. (TBWA) durante 10 anos. Foi Country Manager do portal StarMedia no Brasil. Co-fundador e CEO da Digital Strategy, consultoria pioneira em marketing e comunicação digital no País. Co-Fundador e Diretor de Marketing da FUN Generation, empresa de mobile marketing. Co-Fundador e Diretor da Superbrands Brasil (2005/2009). Consultor adjunto da BrandFinance, consultoria de marcas inglesa (2004/2005). Foi Diretor-Geral da Plataforma Proxxima, de marketing e comunicação digital do Grupo M&M. É hoje Diretor Geral da M&M Consulting, empresa de consultoria e negócios para a indústria do marketing digital. Pyr Marcondes é autor de inúmeros livros sobre história da propaganda e sobre marcas. É hoje referência na indústria digital brasileira. É palestrante, membro de conselhos e consultor.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here