Home Notícias Artigos O mundo dos influencers agora com dados e programática para as marcas

O mundo dos influencers agora com dados e programática para as marcas

22
0

O mercado de influencers não era nem um mercado direito a não mais do que cinco anos atrás. Era uma oportunidade de nicho, que englobava os nascentes astros da internet, tudo de forma empírica (que de alguma maneira ainda é, diga-se) e sem cara de algo de fato profissional.

De lá para cá muita coisa mudou. Os influencers se estruturam um pouco melhor, as marcas passaram a entender também um pouco melhor como se relacionar com eles, empresas que atuam no mercado como consultoras e intérpretes dos dois lados (como a NetCos, por exemplo), além das próprias agências, passaram a “azeitar” a relação entre as partes, e o mercado (hoje de fato um mercado) de influencers ganhou peso e corpo. E os influencers… muito dinheiro.

Nasceu o sub-segmento dos pequenos e micro-influencers, uma massa de “desconhecidos” influenciadores de púbicos segmentados, compondo um painel de mídia curiosamente parecido com o que se tem no mundo da mídia dita mais tradicional, em que a segmentação sempre foi um dos pilares de operação e sustentação. Agora é possível atingir públicos bem mais específicos do que simplesmente investir no Windersson e no Kondzilla, blockbusters mundiais do You Tube, genéricos de enoooorme audiência, mas que dificilmente interessarão a todas as marcas.

No Brasil, entre outras, empresas como a Squid navegam nesse micro-universo.

De pouco, bem pouco tempo para cá, como tive oportunidade de registrar aqui no ProXXIma por ocasião do último evento dmexco, que aconteceu em Colonia, na Alemanha, em setembro do ano passado. Lá ficou claro que empresas cada vez mais especializadas nesse setor estarão trazendo cada vez mais tecnologia, dados e a lógica da venda programática também para o mundo dos influencers.

Uma das que está fazendo isso é a Hollyfy, cujo nome não por acaso lembra Hollywood, que se propõe a fazer match making de marcas com influencers baseada em dados. Como se diz em inglês, data-driven.

Dá uma olhada nesta reportagem do AdWeek e veja como isso está acontecendo. E prepare-se para ver isso acontecer mais e mais. Um avanço de alta relevância para marcas e o todo o mercado de infuencer marketing.

Previous articleInstagram lança publicitário que permite postar coleções animadas
Next articlePassou o Carnaval: que tal ver o que você não pode deixar de fazer?
Pyr Marcondes é jornalista, consultor e autor. Foi repórter da revista IstoÉ, Jornal da Tarde e Playboy. Foi diretor editorial para o Grupo Meio & Mensagem desde a década de 90. Foi Sócio e Diretor de Criação na agência de publicidade Grottera & Cia. (TBWA) durante 10 anos. Foi Country Manager do portal StarMedia no Brasil. Co-fundador e CEO da Digital Strategy, consultoria pioneira em marketing e comunicação digital no País. Co-Fundador e Diretor de Marketing da FUN Generation, empresa de mobile marketing. Co-Fundador e Diretor da Superbrands Brasil (2005/2009). Consultor adjunto da BrandFinance, consultoria de marcas inglesa (2004/2005). Foi Diretor-Geral da Plataforma Proxxima, de marketing e comunicação digital do Grupo M&M. É hoje Diretor Geral da M&M Consulting, empresa de consultoria e negócios para a indústria do marketing digital. Pyr Marcondes é autor de inúmeros livros sobre história da propaganda e sobre marcas. É hoje referência na indústria digital brasileira. É palestrante, membro de conselhos e consultor.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here