Marketing cognitivo e como os anunciantes podem utilizá-lo

Por Innovation Insider | 06 abril 2017

Este texto foi adaptado do orignal da Tara Thomas, publicado no site BoomTrain.

Qual foi o último anúncio que te fez pensar? Qual foi o último anúncio do qual você se lembra que foi viral? Para mim, foi o da campanha “Throw Like a Girl”, de Always, de 2014.

A campanha pegou a todos nós porqeu trouxe à tona questões de disparidade de gênero, a inocência e o potencial que as crianças têm, como a sociedade molda meninos e meninas de forma diferente – e incentivou os adultos a lembrar o potencial e auto-confiança que perderam ao longo do caminho e passar a usá-lo.

Além de ser uma campanha poderosa, é também um grande exemplo de marketing cognitivo.

A marca responsável, Always, fez um jogo diferente em seu posicionamento tradicional, que é de um produto que ajuda as mulheres se sentirem mais auto-confiante em seus dias de menstruação, para por que as mulheres se sentem menos confiantes na medida em que vão ficando adualtas.

Estudos realizados pela American Pychological Association mostraram: “A autoestima das meninas cai duas vezes mais do que a dos meninos durante a puberdade. Além disso, as mulheres nunca recuperam o nível pré-puberdade de auto-estima “.

Isso colocou a equipe em Leo Burnett para trabalhar, construindo uma campanha que tentaria reduzir essa queda na auto-estima, mesmo que um pouco apenas, e mais importante: sacudir quem tenha usado uma vez que seja na vida a frase “Como uma menina” como um insulto.

Os resultados?

• 90m + vistas; segundo vídeo viral mais visto globalmente no período.

• 1100 + canais de mídia ganhos e 4,4 bilhões de impressões de mídia nos primeiros três meses.

• O canal de Always do Twitter triplicou de audiência nos primeiros três meses; a audiência do canal de Always do You Tube cresceu 4339%.

• 177.000 tweets #LikeAGirl nos primeiros três meses, incluindo muitas celebridades; a intenção de compra cresceu mais de 50%.

• Em um estudo realizado em dezembro de 2014, quase 70% das mulheres e 60% dos homens alegaram que “o vídeo mudou minha percepção da frase” como uma menina.

(Fonte: Campaign.com)

O que é Marketing Cognitivo?

Marketing cognitivo é uma maneira de usar a capacidade que nosso cérebro tem de pensar sobre si mesmo como uma forma de estabalecer uma conexão com nossos clientes e usuários, de forma a criar fidelidade de marca e estabelecer sólidas conexões entre a marca e seus consumidores. Como Manas Chowdhury coloca elegantemente em seu artigo Como o Marketing Cognitivo está mudando o mundo digital: “Nossa sociedade em constante desenvolvimento depende da publicidade para atender a várias necessidades humanas. O marketing digital, por definição, é uma oportunidade de apresentar respostas para questões usualmente não atendidas, ou apresentar soluções conhecidas para que elas sejam cada vez melhor percebidas e utlizadas”.

Qual é pegada, então? Vá atrás do que está na mente das pessoas já e aborde-a positivamente. Seja inspirador, falando sobre questões atuais e em algum lugar no meio de tudo isso: posicione sua marca.

Essa é uma das grandes forças do marketing cognitivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

White Paper relacionado


Marketing

GUIA DEFINITIVO DE MARKETING DIGITAL

Encontre todos os itens de planejamento, execução e controle do seu plano de marketing digital e otimize seus resultados.

Digital-Marketing-Assessment-Ebook.pdf (386 downloads)

Artigos Relacionados