DMEXCO 2017: breve resumo

Por Innovation Insider | 18 setembro 2017

DMEXCO terminou semana passada na cidade de Colônia, na Alemanha, depois de dois dias em que os cerca de 50 mill visitante de todo o mundo puderam assistir a quase 500 palestras e apresentações, visitar 1050 expositores na feira de negócios do evento.

DMEXCO é um encontro de network e fechamento de negócios. Seu tagline deixa isso claro: Business Only.

Abaixo alguns momentos do evento, para sua atualização:

Marc Prichard, CMO da P&G, fez a palestra mais impactante do evento. Reiterou seu incômodo com práticas de negócios do mundo digital e enfatizou que a necessidade de mudanças de formatos e entregas precisa ser buscada a qualquer preço. Empresas como P&G, Unilever e uma série de outros grandes anunciantes globais seguem colocando a comunicação online contra a parede. No DMEXCO isso ficou claro não só na apresentação de Prichard, como em outros momentos de anunciantes no palco.

Jack Dorsey, CEO e fundador do Twitter e da plataforma de pagamentos Square, dividiu uma vez mais o palco com Marin Sorrell, CEO do WPP. Ambos protagonizaram encontro semelhante ano passado no evento, mas Dorsey só pode participar por Skype. Este ano, estiveram juntos ao vivo. Sorrell retomou aguns pontos da entrevista do ano anterior, apontando que o Twitter não vai tão bem quanto seus investidores gostariam. Revelou ainda duas coisas relevantes: que seu grupo vai manter o mesmo investimento de mídia no Twitter do ano passado, enquanto vai crescer em vários pontos percentuais os investimentos no Google e Facebook; comentou ainda que seus clientes, grandes anunciantes, gostariam de ver mais e melhores soluções publicitárias do Twitter. A tudo isso Dorsey respondeu afirmando que sua companhia é a mais relevante marca do mundo quando se trata de agregar pessoas globalmente em torno de seus temas de relevância e suas expectativas. Que os números virão. E que sua equipe não para de pensar em novas soluções de comunicação para atender às demandas do mercado.

Outro momento de destaque ficou por conta da apresentação de Bob Lord, CDO (chief data officer) da IBM. Seu ponto de atenção foi para o fato de que vivemos hoje o momento em que o conjunto inimaginável de dados que estão a serviço das empresas vai gerar o que chamou de a Era dos Insights, em que esses dados serão responsáveis por verdadeiros caminhos de transformação para as companhias.

Dividiu o palco com Joe Zawaski, fundador e CEO da Media Math. O discurso comum convergiu para o fato de que a capacidade de aprendizado das máquinas (machine learning, uma das habilidades da inteligência artificial) de um lado, e de outro a precisão de targeting em tempo real da mídia programática, será a grande tendência na gestão da comunicação digital. Algo ainda extremamente embrionário, mas potencialmente transformador. Resumindo, Inteligência Artificial e Programática caminharão juntas.

No painel “The Golden Rules of the Brand Whispers”, com a presença da superstar da web Rachel Levin, do canal do You Tube RCL Beauty 101 (100 milhões de assinantes); Felix van der Laden, do canal Dner, outro youtuber famoso, só que prioritariamente na Alemanha; Reza Izad, Co-Founder e CEO do Studio 71, uma empresa de produção de conteúdos e agenciamento de influencers; além de Petra Czora, CMO da marca de beleza Rossmann, o destaque ficou para o fato de que influencers e seus conteúdos estão agora, e estarão cada vez mais, conectados com dados. Serão mensuráveis (na verdade, já são), serão também distribuídos mais e mais no ambiente automatizado da mídia, o que significa que serão também comprados pelos sistemas da programática.

No painel “Sound & Motion: Branding without Screens”, do qual participaram Dan Wright, Head os International for Advertising da Amazon; Adrian Cuter, Global Agency Director da Microsoft; e Shenda Lougnane, da iProspect o assunto foi como será o mundo quando as telas forem substituídas por voz na intermediação da comunicação interativa digital, on e off-line. Isso acontecerá em poucos anos e será então o reino da Internet das Coisas.

Para todos os participantes, este [e ainda um momento de dúvida e incerteza, enquanto a formatos de participação das marcas nesse novo ambiente em desenvolvimento. Afirmam que não será, de forma alguma, através dos formatos convencionais da publicidade, mas criando-se ambientes e contexto para a comunicação. O que para os palestrantes significa a criação de conteúdos e serviços úteis para o usuário, onde a comunicação das marcas entrará de forma integrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

White Paper relacionado


Artigos Relacionados