Como as organizações podem escolher a melhor tecnologia para marketing

Por Innovation Insider | 02 fevereiro 2016

Há no mundo globalizado de hoje um sem número de plataformas, ferramentas, soluções tecnológicas a disposição dos gestores de marketing. O problema não é a falta de oferta, mas o excesso. A diversidade.

Muitas dessas novas tecnologias se assemelham, muitas parecem atender demandas de forma quase mágica e em todas as categorias e subcategorias há marcas e especificações sem fim, o que deixa a tomada de decisão consideravelmente complexa.
A má notícia é que essa complexidade é dada. É um dado da planilha. Não há como modifica-la, no estágio evolutivo em que estamos e na velocidade em que essa evolução hoje acontece.
A boa notícia é que tomando algumas precauções realmente muito básicas, é sim possível fazer a escolha certa, reduzindo riscos de investimentos desnecessários e não em conformidade com suas necessidades reais. Veja como.

1 – Gargalos e Necessidades antes – Você certamente traça sua estratégia anual de marketing de tempos em tempos. Ela nasce a partir do histórico de seus planos passados, é alinhada com o desempenho obtido nesses últimos anos e somada aos objetivos estratégicos e táticos que você pretende alcançar no próximo exercício. Tudo isso tem ainda que estar em linha com os objetivos de negócios de sua companhia como um todo. Nesse exercício, você vai claramente identificar gargalos. Áreas e atividades que não estão performando bem ou não performarão bem diante dos desafios que você está colocando no papel. Aí começa sua decisão sobre quais tecnologias de marketing adotar. Elas não são escolhas feitas ao acaso ou porque são a última tecnologia disponível em mercado e estão todos usando, elas têm que servir a um propósito claro e tem que trazer resultados que incrementem seus objetivos estratégicos e de mercado. É aí que tudo começa.

2 – Faça as perguntas certas, antes de escolher – Na hora de escolher o conjunto de tecnologias e ferramentas de marketing que vão ajuda-lo em suas tarefas de gestão e de geração de negócios tenha em mente algumas perguntas básicas:

  • O seu time vai de fato usar a nova tecnologia?
  • Essa nova tecnologia atende uma demanda específica ou pode ser potencializada para atender várias demandas e necessidades?
  • Ela é escalável e pode ser integrada facilmente com o legado tecnológico que já está alocado na empresa?
  • Ela está aparelhada com dashobards que seu time e você possam acessar facilmente e entender por completo os dados, relatórios, informações e insights que ela consegue gerar?

Qualquer pergunta mal respondida nesta simples lista básica vai certamente levar a transtornos nada desejáveis.

3 – CRM é indispensável – CRM é a integração do database de seus clientes, usuários e vendas. Ele opera otimizando resultados finais de conversão por incrementar a assertividade das ofertas oferecidas a cada pessoa. Gera insights permanentes para que essa otimização seja igualmente permanente. Os bons softwares de CRM apontam ainda carrinhos abandonados no meio da compra, lembram ligações que sua equipe de vendas precisa fazer para clientes, agenda compromissos, faz acompanhamento diário de vendas, identifica novas oportunidades de comercialização, etc. Tudo a serviço do crescimento de suas vendas, performance e, ao final, de todo o seu negócio. Não possuir um bom ferramental de CRM é uma falha em seu arsenal de vendas. Fique atento a essa necessidade que hoje em dia, é básica.

4 – Aplicativos também – É hoje praticamente impossível imaginar qualquer companhia que não utilize um ou dezenas de aplicativos em suas várias áreas. Mas no marketing, essa necessidade é talvez ainda mais marcante e essencial. Os aplicativos são atalhos para resultados pontuais e específicos. Aplicativos raramente atendem grandes demandas (embora possam também atender) e por isso são relativamente mais simples de serem escolhidos. E é aí que reside todo o perigo. Por serem ferramentas pontuais que, em sua maioria, oferecem inúmeras aparentes vantagens, cuidado. Nem sempre eles entregam o que prometem e nem sempre atender aquela demanda específica é a melhor decisão a ser tomada. Todo aplicativo, por mais pontual que seja, tem que estar a serviço de uma estratégia integrada de marketing, como comentado acima. Nada pode estar solto. Junte sua equipe de experts internos, faça um levantamento amplo de mercado em busca das melhores opções e tome a decisão de compra ou contratação apenas se todas as condições anteriores estiverem atendidas. Existem ótimos aplicativos no mercado e tantos outros que podem ser desenvolvidos. Mas um aplicativo só é de fato ótimo se for ótimo para você e sua companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

White Paper relacionado


Marketing

4 passos para personalizar o seu marketing

A personalização de sua narrativa de marketing engaja mais e garante melhor desempenho para seus investimentos.

Artigos Relacionados