#Amazon Go, sem fila de caixa!

Por Ricardo Kubo | 15 dezembro 2016

Nunca fui tão lembrado na mídia social: muitos colegas me passaram o vídeo do #AmazonGo para me avisar. Realmente adorei o que a Amazon fez para esse formato de conveniência sem filas no caixa. Eu tenho que visitar um quando puder!!! Ao mesmo tempo em que recebia via WhatsApp e tags em posts, alguns me perguntavam:

— O Amazon Go dá retorno?

Seria muito leviano da minha parte dar uma resposta simples sem ter uma série de números em mãos. De cara, o preço praticado versus o custo da mercadoria nesse modelo. Por outro lado, adorei o conceito, pois é uma startup num formato de mercearia de bairro com toda a liberdade de criar, sem amarras com o legado. Já imaginou remover ou reduzir muito as dores de cabeça e os custos com a função do caixa, o terminal, o software e a infraestrutura do PDV e converter em metro quadrado de produto? Lembrando que, mesmo nos varejistas mais moderninhos, não são raros os supervisores nas áreas de self-checkout.

Vídeo da Amazon.com

Outro custo a ser considerado: todas as compras consideram a identificação do consumidor. Ponto que pode minimizar o questionamento de prevenção a perdas, os sensores de reconhecimento visual na loja não seriam apenas para os produtos.

Para dar mais assertividade ao reconhecimento do produto selecionado ou devolvido, muito provavelmente tem uma grande simplificação no planograma e toda a dor de cabeça para a execução. Se a loja está automatizada, pode ter um horário de atendimento maior com menores impactos de custos operacionais. Isso me fez lembrar da Chloe, a robô da Best Buy que trabalha 24 horas por dia.

Vamos falar dos pontos que podem pesar contra? A própria catraca de leitura do QR code de identificação do consumidor é um elemento novo. A Just Walk Out Technology também tem seus custos com os sensores de reconhecimento visual espalhados na loja associados ao custo de processamento do aprendizado com os consumidores. A reposição de produtos tem que ser muito bem executada devido ao pouco espaço de exposição, me lembra a Fairway Market. Lembrando que a Fairway Market é super-rentável no seu metro quadrado com preços mais premium.

Eventuais desistências de produtos – sim, consumidor larga as coisas nem sempre onde pegou –, eventuais espertalhões que vão encontrar falhas no modelo. Planejar o sortimento e personalizar é um superdesafio no varejo. Quanto menos comum, menor poder de barganha na aquisição. Escala: vai levar algum tempo para escalar e, quanto mais lojas espalhadas, mais necessidade de estoque dos sensores e de pessoal capacitado para a manutenção.

Pontos de questionamento: como será o trade promotion com fabricantes? Será que vai ter muita marca própria como uma Trader Joe’s?

Como uma pessoa poderia comprar por outra, se uma família compartilhar seu usuário de Amazon Prime? Qual a demografia privilegiada para esse modelo se expandir? Será mais um buz como os drones? O consumidor vai pagar quanto a mais por essa conveniência?

Foto: compra de água em aeroporto na Inglaterra.

São tantas variáveis que chego a uma conclusão: aos pitaqueiros de plantão, todos estão certos e todos estão errados em algum ponto. Mas que o modelo é muuuuuiiiiiiittoooo legal, ele realmente é!! Fazia anos que não víamos algo repercutir tanto no varejo. Se dá retorno? Precisamos esperar os dados dizerem. Por outro lado, só de mídia espontânea, assim como estou fazendo, acho que o investimento de quatro anos já está se pagando. Sem contar o impacto no consumidor. Quando esse modelo se afirmar, muitos vão ter lembrança da marca. Certamente, já tem muito varejista preocupado com seu futuro. A tecnologia está disponível: uso de reconhecimento visual com fusão de sensores e machine learning. Temos que lembrar ainda que há muitas travas do modelo legado que são difíceis de resolver em pouco espaço de tempo, dificultar a cópia nos grandes varejistas.

Não podemos nos esquecer de contabilizar a tão falada experiência do consumidor. Se no aeroporto na Inglaterra eu adorei a experiência de compra, sem caixa e sem fila para comprar uma garrafa de água, imagina como vou ficar quando entrar numa loja da Amazon Go.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

White Paper relacionado


Marketing

GUIA DEFINITIVO DE MARKETING DIGITAL

Encontre todos os itens de planejamento, execução e controle do seu plano de marketing digital e otimize seus resultados.

Digital-Marketing-Assessment-Ebook.pdf (227 downloads)

Artigos Relacionados