5 passos (inevitáveis) para mapear a jornada do seu consumidor

    250
    0

    1. Transforme-se em um data-driven adict – Ou você vira um viciado em dados ou nada feito. Não há mais como se relacionar com seu consumidor ou como traçar qualquer estraégai de marketing nos dias de hoje se você não se utilizar loucamente de dados. Dê preferência aos seus próprios dados (first party data); cruze-os com dados de parcerios de negócios confiáveis (second party data) e em último caso use dados de terceiros, mas com muito cuidado para não comprar gato por lebre, bases de dados que nãos ervem para nada. Se possível, construa sua própria DMP (se não sabe o que é uma DMP, melhor saber);

    2. Compreenda a jornada do seu consumidor na real – Não imagine nada. Não conclua nada. Não tenha grandes ideias sobre o que você não conhece na prática. Constate apenas. Siga obstinadamente seu consumidor. Isso quer dizer ter dados e ferramentas que acompanhem seu consumidor em cada ponto de contato dele com sua marca e dele com a vida dele, independente da sua marca. Curioso, pessoas reais são pessoas reais. E só observando-as nos mínimos movimentos (erráticos e sem sentido, muitas vezes) de sua trajetória on e off-line é que você vai de fato compreender os caminhos de seus consumidores. Ah, cada consumidor é um, viu? Nenhum é igual ao outro. E já há hoje ferramentas de inteligência de dados e de análise de comportamento que entregam perfis individuais para sua análise. Leva esse passo muito a sério, ou sua eficácia se dissolverá na ineficácia. Sua verba também.

    3. Compreenda tecnologia – Deu. Não dá mais para você alegar que tecnologia é coisa de TI. Não seja míope. Que tal chegar no século XXI, boa ideia, hein? Qualquer gestor de marketing que desconhece tecnologia está fadado ao insucesso mais rápido do que imagina. Seu consumidor vai perceber isso, suas vendas vão perceber isso, seus concorrentes vão perceber isso, seu presidente vai perceber isso, seus acionistas vão perceber isso e, pronto, olha você, o bem sucedido até dois, três anos atrás, virando mais um número da triste estatísticas dos gestores de marketing que acreditam que podem ignorar tecnologia na boa. Mas como você vai aprender? Faça cursos, vá a eventos, contrate consultores, contrate equipes que te ensinem. Mas aprenda, não fuja da raia.

    4. Tenha clara sua estratégia antes de falar com seu consumidor – O que você quer, afinal, do seu consumidor? Falar com rele, se relacionar com ele, fazê-lo comprar e consumir seus produtos, certo? Médio. Pode ser uma de cada uma dessas coisas, podem ser todas juntas, mas principalmente, cada uma dessas suas vontades meio óbvias só irá de fato funcionar se você tiver clareza de sua estratégia e dos valores que sua marca ou produto precisam transmitir e atingir, numa determinada curva de tempo e com um volume geralmente limitado de recursos. Entenda que marketing é uma peça de negócios da companhia e que seus consumidores não estão lá para ouvir sua história ou a história da sua marca se elas não fizerem imenso sentido para eles. Casar o que eles querem com os objetivos estratégicos previamente traçados por você para suas marcas é altamente complexo, mas é a única forma de você ser bem –sucedido. Não invista um centavo em tecnologia, dados ou outro recurso qualquer se não tiver clara qual jornada você quer que seu consumidor percorra.

    5. Agora mapeie a jornada – Pronto, se você conseguiu minimamente se preparar e colocar em prática os passos anteriores, você está pronto para conseguir de fato mapear a jornada de seu consumidor e tirar dela todo o proveito que ela pode dar, revertendo-se em resultados para sua companhia ea para você mesmo, como profissional.

    São 5 passos inevitáveis para seu marketing digital e para sua proximidade com seu consumidor em uma jornada que para ele, é a vida, para você são negócios. Tenha clara essa diferença e use-a inteligentemente a seu favor.

    Previous articleAgile não é Rapidinho – Episódio 5 – Agile Manifesto: quais são os valores e práticas associados ao terceiro pilar?
    Next articleApps ou Bots: o que realmente importa? Por Leo Xavier.
    Pyr Marcondes é jornalista, consultor e autor. Foi repórter da revista IstoÉ, Jornal da Tarde e Playboy. Foi diretor editorial para o Grupo Meio & Mensagem desde a década de 90. Foi Sócio e Diretor de Criação na agência de publicidade Grottera & Cia. (TBWA) durante 10 anos. Foi Country Manager do portal StarMedia no Brasil. Co-fundador e CEO da Digital Strategy, consultoria pioneira em marketing e comunicação digital no País. Co-Fundador e Diretor de Marketing da FUN Generation, empresa de mobile marketing. Co-Fundador e Diretor da Superbrands Brasil (2005/2009). Consultor adjunto da BrandFinance, consultoria de marcas inglesa (2004/2005). Foi Diretor-Geral da Plataforma Proxxima, de marketing e comunicação digital do Grupo M&M. É hoje Diretor Geral da M&M Consulting, empresa de consultoria e negócios para a indústria do marketing digital. Pyr Marcondes é autor de inúmeros livros sobre história da propaganda e sobre marcas. É hoje referência na indústria digital brasileira. É palestrante, membro de conselhos e consultor.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here